Teoria elementar da procura



Começamos o estudo da procura recorrendo à obra de Richard Lipsey. Admite-se na função procura que o volume da procura varia em função do preço do respectivo bem, do rendimento familiar, dos preços dos outros bens e dos gostos dos consumidores. Supondo constantes todas as variáveis à excepção do volume da procura do bem n e do respectivo preço, chega-se então à curva da procura.





Acima, referiu-se sempre a procura dos consumidores por um determinado bem, isto é a procura individual analisada em microeconomia, para explicar o comportamento dos agentes económicos. Porém, quando analisamos o comportamento das economias nacionais, objecto da macroeconomia, interessa considerar a procura dos vários agentes económicos (famílias, empresas e estado) pela globalidade dos bens, em função do nível dos preços. Esta perspectiva conduz ao conceito de procura agregada, útil para avaliar, por exemplo, o impacto do aumento da procura sobre o nível geral dos preços, o nível de produção, rendimento e emprego.



Enquanto a procura individual é geralmente assinalada pela letra "D" (de Demand), a procura agregada é assinala-se com "AD" (de Aggregate Demand).




1. Distingue volume da procura de quantidade adquirida ou quantidade realmente comprada e vendida.

2. “O volume da procura é um fluxo”. Explicita o significado desta afirmação.

3. Indica as variáveis de que depende o volume da procura, explicitadas por Lipsey na função da procura.

4. Explica por que razão o volume da procura varia inversamente com o preço do bem.

5. Explica como se chega à curva da procura a partir da função procura.

6. Interpreta a inclinação descendente da curva da procura.

7. Descreve o efeito ilustrado na curva da procura agregada (AD), quando se passou do ponto (P1, Y1) para (P2, Y2).

8. Identifica a situação e descreve um possível efeito ilustrado em cada uma três imagens abaixo.



Sem comentários: