Mercado de Títulos

O mercado primário é uma parte do mercado de capitais onde são transaccionados títulos numa primeira oferta pública. A emissão dos bancos portugueses e da República portuguesa são exemplos de funcionamento do mercado primário. No mercado secundário realizam-se compras e vendas de títulos lançados anteriormente no mercado primário (primeira oferta pública), dado que quem adquire os títulos no mercado primário nem sempre os conserva até à maturidade. Os fundos de investimento e as gestoras de activos são exemplos de agentes do mercado que negoceiam os títulos em função da descida dos preços (e da subida dos juros).
https://www.cgd.pt/Investor-Relations/Pages/Perguntas-frequentes.aspx

As empresas podem financiar-se pela emissão de empréstimos obrigacionistas (novas obrigações) ou pelo aumento de capital social (novas acções). A bolsa é o mercado onde as empresas se encontram com o grande público, através das sociedades corretoras ou sociedades financeiras de corretagem, que executam as ordens dos clientes na bolsa. A presença destes intermediários poderá passar despercebida porque geralmente as pessoas dão as ordens através do seu banco. A bolsa também é importante para oferecer liquidez aos investidores. Aqueles que desejem dispor do valor das obrigações antes do termo da sua maturidade, bem como os accionistas que desejem investir noutros projectos, podem vender os seus títulos na bolsa.
http://www.economia10.te.pt/pub/manual.php, Manual Digital, p. 270

A crise financeira de 2008 traduziu-se numa baixa abrupta das cotações da generalidade dos títulos em todo o Mundo. O Gráfico abaixo ilustra a evolução da bolsa de Lisboa, cujo comportamento é medido pelo PSI-20.
http://www.bolsadelisboa.com.pt/products/indices/PTING0200002-XLIS

A simples análise dos gráficos mostra que são relativamente grandes as oscilações a curto prazo, precisando os investidores de estar preparados para perder. Contudo, fazendo a análise a médio ou longo prazo, os índices das bolsas sobem mais rapidamente do que crescem as economias, mostrando-se o investimento em acções mais compensador que qualquer outro produto financeiro.

O mercado de títulos é generoso para os investidores, mas uns têm maiores possibilidades de rentabilizar os seus investimentos que outros. Dizem-se price-takers os indivíduos ou empresas que não sejam suficientemente influentes para afectar o preço (cotação) dos títulos transaccionados. A maioria dos investidores são tomadores de preços, porque suas acções individuais na compra e venda de acções não são suficientes para alterar a sua cotação.

Dizem-se price-makers os indivíduos ou empresas que possuam uma grande maioria das acções, podendo influenciar o seu preço, se derem ordem de compra ou de venda de um volume significativo dos títulos. Como estratégia, podem oferecer títulos massivamente para baixar a sua cotação, e posteriormente adquirir o capital social de uma empresa a baixo custo.

Diz-se bull market porque os touros investem de baixo para cima.A análise da bolsa (VER VÍDEO) utiliza frequentemente dois termos: Bull market significa que o mercado de acções está em alta, associando-se com o aumento da confiança dos investidores, aumentando o investimento na expectativa de futuros aumentos de preços (mais-valias). A tendência de alta no mercado de acções começa geralmente três meses a um ano antes que a economia real mostre sinais claros de recuperação.
Diz-se bear market porque os ursos investem de cima para baixo.Bear market significa que o mercado de acções está em queda geral durante um período de tempo. É uma transição de alto optimismo dos investidores para uma situação de desconfiança generalizada dos investidores e de grande pessimismo. De acordo com The Vanguard Group “enquanto não há definição consensual de um bear market, é geralmente aceite a queda das cotações em 20% ou mais ao longo de um período mínimo de dois meses”.


Reza a lenda que esfregando os chifres do touro - ao fundo da rua da Bolsa em Nova Yorque - nunca nos faltará o dinheiro...

... e esfregando as bolas...


1. Distingue mercado primário de mercado secundário.

2. Compara o empréstimo obrigacionista com o aumento de capital quanto:
a) à rentabilidade dos títulos;
b) à possibilidade de as empresas ajustarem os pagamentos à conjuntura económica.

3. Explicita o significado dos termos:
a) Tomada firme;
b) Corretoras;
c) Cotação.

4. Distingue bull market de bear market.

5. Imagina que em Abril de 2014 tinhas comprado 5.000 € em títulos e que o valor dos títulos que compraste subiu e desceu ao ritmo do PSI-20.
Utiliza este gráfico (PSI-20 / VER MAIS / HISTÓRICO / 5 ANOS) para calcular o valor actual da tua carteira (em Maio de 2015).

6. Refere as diferentes possibilidades que os indivíduos têm de rentabilizar os seus investimentos distinguindo os conceitos de price-taker e price-maker.

7. A entidade que regula a actividade da Bolsa é a CMVM. Consultando o seu Guia do Investidor:
a) Descreve três dos valores mobiliários mais conhecidos;
b) Apresenta duas razões para os Fundos de Investimento serem particularmente atractivos para os pequenos investidores;
c) Identifica as categorias de investidores criadas. Interpreta a criação destas categorias após a crise financeira de 2008.

Sem comentários: