Preço de um bem - noção e componentes

Diz-se preço o custo unitário de um bem, serviço ou activo, expresso em unidades monetárias.

O consumidor nunca dispõe de recursos para adquirir todos os bens que desejaria. Assume-se em Economia que os consumidores pretendem maximizar o seu bem-estar, traduzido por uma função utilidade.

Utilidade é a propriedade de anulação das necessidades que se atribui aos bens económicos. A utilidade marginal de um bem é o acréscimo da satisfação resultante do consumo de uma unidade adicional desse bem.

Para decidir a melhor aplicação do seu rendimento, o consumidor irá gastando cada Euro no bem que lhe acrescentar maior satisfação. De acordo com o princípio da igualdade marginal, a maximização da utilidade do consumidor pressupõe a escolha de um cabaz de bens tal que a utilidade marginal por unidade monetária gasta seja igual para todos os bens. Para compreender rapidamente este princípio, imagine que adquirindo o bem X a utilidade do último Euro seria três vezes superior à utilidade do último Euro gasto no bem Y; neste caso, a utilidade total poderia ser aumentada, transferindo o Euro gasto no bem Y para o bem X.

Associando o preço dos bens à sua utilidade marginal, facilmente perceberá porque é que a água é mais barata que os diamantes. Observe que apesar do elevado valor de uso (utilidade total) da água, esta tem um valor de troca (utilidade marginal) muito inferior ao dos diamantes (paradoxo da água e do diamante).



Este princípio será retomado adiante, para justificar a relação inversa entre a quantidade desejada pelos consumidores e os preços: o aumento de preço de um bem reduz o consumo desejado pelo consumidor em relação a esse bem, explicando por que razão as curvas da procura têm inclinação decrescente, tema que será estudado no ponto 5. Preços e mercados.

Pensando nos produtores, um factor importante na determinação dos preços são custos de produção. Admite-se que o seu objectivo é a maximização do lucro, pelo que apenas poderão produzir e vender os produtos por um preço superior ao seu custo unitário (já calculado aqui), definindo-se o lucro unitário pela diferença, preço menos custo unitário. Se os custos de produção subirem, porque aumentaram os custos das matérias-primas, da energia, dos salários, aumentaram os impostos, etc., então o empresário só conseguirá manter o seu lucro se aumentar os preços, transferindo o aumento dos custos para os consumidores.

Provavelmente, se aumentarem os custos, os produtores não conseguirão repercuti-lo na sua totalidade sobre os consumidores, mas isso dependerá da estrutura do mercado, pois como veremos, em Monopólio o produtor terá maior poder na determinação dos preços que em Concorrência.



1. Explica o paradoxo da água e do diamante utilizando os conceitos de utilidade total e utilidade marginal.

2. Refere três factores que influenciam a formação dos preços.

3. Comenta a importância da estrutura do mercado na formação dos preços, referindo dois exemplos de mercado concorrencial e dois exemplos de monopólio.

Sem comentários: