A inflação em Portugal e na UE

O objectivo do BCE é uma taxa de inflação próxima de 2%. Nos países da Zona Euro tem-se observado uma taxa de inflação 1 p.p. abaixo da UE28, porém observando as estatísticas de cada país as discrepâncias são maiores.

Em 2015, a Alemanha, bem como a ZE19 e a UE28 encontravam-se perto de “uma zona perigosa”, o que terá levado o BCE a promover uma política de Quantitative Easing (QE), “alívio quantitativo” que se traduziu na compra de mais títulos dos Estado-Membros. Com mais moeda em circulação, o dinheiro ficou mais barato (ie. As taxas de juro mais baixas), o que terá ajudado Portugal a sair da recessão.

Observa-se no gráfico que a Alemanha cumpre mais facilmente o objectivo do BCE que a ZE19 e a UE28. A Grécia é o país onde a taxa de inflação mais variou, mas Portugal foi o único dos países seleccionados a apresentar deflação em 2009.

Observando o Índice de Preços no Consumidor, conclui-se que os bens que se compravam em 1997 com 100 euros, já em 2012 custariam 126€ na Alemanha, 146€ em Portugal e 160€ na Grécia.

1. Constrói e interpreta dois gráficos semelhantes aos anteriores, partindo da Taxa de Inflação (Taxa de Variação do Índice de Preços no Consumidor), no PORDATA.

2. Utilizando os dados do EUROSTAT, indique e interprete, para os mesmos países, em Dezembro de 2016:
a) O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor com 2015=100;
b) A taxa de inflação mensal;
c) A taxa de inflação homóloga;
d) A taxa de inflação média.

3. Em que ano o salário real foi maior?
Preenche a tua parte do ficheiro.

Sem comentários: