Salário nominal vs. Salário real

O salário nominal corresponde ao valor do trabalho expresso em moeda. Com essa quantia o trabalhador pode adquirir determinada quantidade de bens e serviços que constitui o seu salário real.

A subida dos salários aumenta o poder de compra - o conjunto de bens que será possível adquirir -, mas o aumento dos preços, medido pela taxa de inflação, reduz a sua capacidade para aquisição dos bens, sendo necessário conjugar os dois efeitos para determinar as consequências sobre o salário real.

Geralmente quer os salários, quer os preços aumentam, por isso acaba por se verificar uma das seguintes situações:


  • Se os salários nominais tiverem um aumento superior ao da taxa de inflação, então o salário real sobe;
  • Se os salários nominais tiverem um aumento semelhante ao da taxa de inflação, então o salário real mantém-se;
  • Se os salários nominais tiverem um aumento inferior ao da taxa de inflação, então o salário real desce.
No quadro abaixo, lê-se na linha (1) o valor da Taxa de Inflação média anual, para o Continente, excepto habitação. Verifica-se que só em 2009 os preços baixaram, registando-se em 2011 o maior aumento de preços do período 2005-2012.
Na linha (2) indica-se o valor do salário mínimo mensal.

Na linha (3) indica-se o valor do aumento percentual do salário mínimo, que se calculou utilizando uma fórmula que já conheces.
Na linha (4) indica-se para cada ano se a população ganhou (+) ou perdeu (-) poder de compra, fazendo a operação: aumento percentual do salário menos Taxa de Inflação (isto é, 4=3-1).

Verifica-se que o maior aumento do salário real se registou em 2009. Em 2006, -0,1 é um valor relativamente inclusivo para a evolução do poder de compra, mas em 2011 e 2012, -1,6 e -2,8 asseguram que a população perdeu poder de compra.

Imagina agora a seguinte pergunta: Quanto deveria ganhar em 2006 - 2007, 2008, 2009,... - alguém que em 2005 auferisse 2.000,00 €, de modo a assegurar que o seu salário real se mantivesse? Obviamente, para não ganhar nem perder salário real, o seu salário nominal deveria subir ao ritmo da Taxa de Inflação. Em conjunturas inflacionistas os sindicatos costumam bater-se pela indexação dos salários, propondo que estes subam com a inflação, para evitarem a redução do salário real.

Se em 2006, os preços subiram 3,1%, para adquirir o mesmo conjunto de bens será necessário que o salário nominal de 2005 também suba 3,1%, isto é, em vez de 2.000,00 €, deverá corresponder a este valor acrescido de 3,1%:

Salário nominal em 2005 2.000,00 €
+ aumento de 3,1% = 2.000,00 € x 3,1% = 62,00 €
Salário de 2006 equivalente a 2.000,00 € em 2005 = 2.062,00 €

Uma forma mais elegante de indicar este cálculo seria:
2.000,00 (1+0,031) = 2.062,00 €

Vamos indicar assim o cálculo do salário nominal indexado à Taxa de inflação para os anos seguintes: Em 2007, o salário equivalente a 2.000,00 € em 2005 é:

2.000,00 (1+0,031) (1+0,0243) = 2.112,11 €

Em 2008, o salário equivalente a 2.000,00 € em 2005 é:
2.000,00 (1+0,031) (1+0,0243) (1+0,0255) = 2.165,97 €

Em 2009, o salário equivalente a 2.000,00 € em 2005 é:
2.000,00 (1+0,031) (1+0,0243) (1+0,0255) (1+(-0,0101)) = 2.1444,09 €

Como já percebeste a lógica, mais simples que continuar manualmente, será introduzir a respectiva fórmula no Excel, obtendo a linha (5). Nela se indica quanto deverá ganhar em cada ano, alguém que recebesse 2.000,00 € em 2005, de modo que não ganhasse nem perdesse poder de compra.
2.316,76 € corresponde ao valor actualizado para 2012 de 2.000,00 € em 2005.

Também podemos calcular os valores actualizados pela inflação recorrendo ao site do INE. Para o nosso exemplo, teremos os passos descritos nas quatro imagens seguintes:





1. Distingue salário nominal de salário real.

2. Explica como o salário real varia com o (1) aumento da salário nominal e (2) a taxa de inflação.

3. Relaciona as expressões “salário real” e “poder de compra”.

4. Explica o que significa “indexar os salários” à taxa de inflação.

5. Preenchendo o ficheiro de ajuda, de 2000 a 2012:
a) Calcula a percentagem de aumento do salário nominal (linha 3);
b) Calcula o ganho (+) ou perda (-) do poder de compra (linha 4);
c) Calcula o valor actualizado de 1.000,00 € em 2000, nos anos seguintes (linha 5).

6. Interpretando o ficheiro de ajuda, indica em que ano:
a) Os preços estavam mais baixos;
b) Os preços estavam mais altos;
c) Os preços subiram mais;
d) Os preços subiram menos;
e) Os salários reais estavam mais baixos;
f) Os salários reais estavam mais altos;
g) Os salários reais subiram mais;
h) Os salários reais subiram menos;
i) São necessários 1.263,71 € para adquirir o mesmo cabaz de bens que se comprava em 2000 com 1.000,00 €.

7. Explica como poderias obter o factor de actualização indicado na imagem 4 do site do INE, no ficheiro de ajuda.

8. Supõe que em 2000 foram colocados 5.000,00 € num depósito a prazo, renovável, cuja taxa de juro foi todos os anos igual à taxa de inflação. Utilizando o site do INE, determina o montante dessa aplicação em 2015.

II
Actualize o ficheiro de ajuda acima até 2015, considerando os seguintes dados adicionais: Explicitando os conceitos apropriados, comenta a evolução dos preços e dos salários de 2000 a 2015.

Sem comentários: